terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Por Mirella Stivani “Volta Cazuza”. Assim foi intitulado o evento gratuito que aconteceu sábado, dia 30 de novembro, no Parque da Juven...

Cazuza “volta” por meio de efeitos especiais

Nenhum comentário:
 
Por Mirella Stivani

“Volta Cazuza”. Assim foi intitulado o evento gratuito que aconteceu sábado, dia 30 de novembro, no Parque da Juventude, em São Paulo. E o poeta de fato voltou, em forma de holograma, para uma plateia estimada em 30 mil pessoas. Sim, ele teria que fazer parte do show. Ele era o show. Sempre foi.

A banda que subiu ao palco e executou as músicas do tributo contou com George Israel (saxofonista do Kid Abelha), Nilo Romero (produtor musical de Cazuza), Arnaldo Brandão, Leoni, Rogerio Meanda (guitarrista da banda de Cazuza) e Guto Goffi (do Barão Vermelho). Gal Costa e Paulo Ricardo fizeram participações especiais.


O evento marcou a chegada da operadora GVT a São Paulo, mas todos estavam ali para ver e ouvir Cazuza. E a homenagem acabou se tornando dupla, visto que, por causa desses acasos que ninguém consegue explicar, João Araújo, pai do poeta e um dos mais importantes produtores e executivos do mercado fonográfico brasileiro, veio a falecer justamente na manhã de sábado. Como o próprio Cazuza já havia cantado em “Boas Novas” “Eu vi a cara da morte e ela estava viva”. E, de repente, ela chega.

O público pode ouvir mais de 20 hits de Cazuza, em um show que mais parecia uma festa. Plateia e músicos emocionados criaram uma atmosfera de intimidade, onde cada citação ou refrão levavam a emoção que se espera de um evento desse porte.

O ponto alto da noite (ou o mais esperado) foi a projeção do cantor em formato de holograma. Cazuza “ficou” no palco por 20 minutos, onde “cantou” "Exagerado", "Faz Parte do Meu Show", "Amor Amor", "O Tempo Não Para" e "Brasil", com áudio extraído de gravações originais.

OK, a imagem não era tão perfeita assim. Mesmo com a reprodução do figurino símbolo do poeta - calça jeans, camiseta branca e faixa vermelha na testa – apenas a atmosfera da noite podia fazer nos levar a acreditar que ali estava Cazuza. Mas ele estava, de qualquer maneira.

Valeu a intenção, valeu a festa, valeu o show. O grand finale veio com a volta de todos os músicos para cantar “Pro dia Nascer Feliz”. E a noite terminou feliz. Cazuza não foi apenas convidado para essa festa, como também era a estrela principal. Alguém duvida que o poeta sempre esteve vivo?

O GVT Music Live - Cazuza, será reapresentado no Rio de Janeiro, dia 19 de janeiro de 2014, na praia de Ipanema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário